Por uma outra Cabo Frio – Por Talytha Lopes

Talytha Lopes é estudante

Talvez seja o modelo que a gente conhece, talvez estejamos acomodados e acostumados a viver com o pouco que nos é dado, e a grande maioria nem sequer pensa sobre isso. Não gostam de política no dia-a-dia, mas querer melhorias é pensar em política. Querer boas escolas, querer reconhecimento por ser professor, ter asfalto e não querer ver injustiças enormes sendo feitas diariamente com uma cidade que tem potencial e foi sabotada por 20 anos, com o silêncio de quem diz amar a cidade, e o mesmo não discute política.

Não faz mal o povo reclamar, mas aqui parecem estar amordaçados, seja por um contrato, por uma portaria indevida, por ter alguma dívida moral com quem nem sequer pode votar, mas está fadado a pelo menos mais 3 anos de uma reeleição indevida, que deixa em dívida, diversos trabalhadores.

Eu tenho 20 anos, nunca vi um governo diferente, nunca vi um grupo se levantar pelo povo. Sou jovem, mas também gostaria de fazer pelo meu avô, que é nascido e criando aqui, que tem 73 anos de Cabo Frio, que também sofre e fica indignado por ver salários atrasados, por ver vereadores e personalidades se omitindo, sem nem pensar no povo.

A política é no nosso dia a dia, o direito adquirido de fazer o bem, de tirar de lá, de ouvir do povo. Assistam reuniões abertas na câmara municipal, deem opinião, procure quem teve seu voto, e quem não teve também, todos eles trabalham pra nós, e pelo que estamos passando, podemos saber que nenhum deles está trabalhando direito.

Precisamos de investimento em cultura maciça, cultura jovem que se movimenta e muda, que faz a empatia do jovem pela cidade. Precisamos de esporte, informação que o corpo e a mente trabalham juntos, precisamos de educação e percepção que isso aqui não é só turismo, que existe uma veia cultural imensa e ainda intacta na cidade, precisamos de infraestrutura, que se faça daqui moradia também, não só berço, onde a gente nasce e precisa sair caso queira crescer.

Precisamos conhecer nossa história como cabo-friense, estamos acostumados a não ter história, estar aqui só de passagem. Isso faz com que essa cidade não desenvolva cidadãos com orgulho de estar aqui, de ser daqui. Precisamos de história, de escolas, precisamos saber do nosso passado pra não repetir erros no futuro, e o passado não precisa ser tão longe assim, trabalhamos agora para não cometer daqui a 3 anos os mesmos erros.

Por uma outra Cabo Frio – Por Denize Alvarenga

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.