Empresário questiona na Câmara aumento da taxa de lixo sugerida pelo Prefeito de Búzios

Outra preocupação, é Plano Verão Anual que não foi apresentado pela Prefeitura conforme Lei sancionada em 2016

Ao fazer o uso da Tribuna Livre da Câmara Municipal de Búzios – espaço destinado à entidades representativas da sociedade mediante a solicitação, no dia 30 de novembro,  o presidente do Sindicato dos Hotéis restaurantes, Bares e Similares (SINDSOL) e da Associação Búzios Convention & Visitors Bureau (BCVB), o empresário Thomas Weber, representando o Pacto das entidades de Búzios,  mostrou a sua preocupação com o aumento da taxa do lixo sugerida pela segunda vez pelo prefeito André Granado.

Thomas Weber

“Seguimos, há mais de 30 anos, em parceria com os Poderes constituídos. Para fugir de empréstimos e aumento de taxas e impostos em momentos de incertezas, se faz necessário ampliar a base de contribuintes. Conforme levantamento, temos cerca de 60 % do comércio a margem da legalidade. Se temos o turismo como principal atividade econômica, como o orçamento destina menos de 1 % para este setor, quando se aplica mais de 5 % no recolhimento de lixo?”,  questionou o empresário.

Outra preocupação do empresário, que representa outras entidades ligadas ao turismo como Associação de Hotéis de Búzios (AHB), Associação Comercial e Empresarial de Búzios (ACEB) e Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) é com relação ao Plano Verão.
Até o momento, a prefeitura não apresentou as ações previstas para esta temporada – data prevista inspirou no dia 1º de novembro. Esse plano (Lei Municipal 1286, de 27/09/2016) que tem por objetivo atender as demandas da cidade no período de alta temporada como: atendimento hospitalar, segurança, trânsito, ordenamento náutico, ações de flanelinhas, preços abusivos de estacionamento e coleta de lixo.

Assistência da Câmara de Vereadores de Búzios

“A falta de ações neste sentido no período de grande movimentação pode comprometer o turismo da cidade. No verão passado, os problemas, como a precária coleta domiciliar de lixo, incomodou não só os turistas como também, toda a população. Isso, sem contar, com outros problemas, como trânsito, invasão de ambulantes nas praias, segurança, iluminação pública, dentre outros.”,  lembrou o empresário.

O lixo foi um dos principais problemas do verão passado e a deficiência no seu recolhimento causou diversos transtornos na cidade. Houve infestação ratos, baratas, proliferação de moscas e doenças.

Leia também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.