Macaé sediará seminário sobre Conteúdo Local na cadeia de petróleo e gás

Evento será promovido pelo Senado Federal, com apoio da Câmara de Macaé, a pedido do vereador Marcel Silvano

O encontro acontecerá a pedido do vereador Marcel Silvano

Aprovado na manhã desta terça-feira, 10, o Requerimento de autoria do vereador Marcel Silvano, em que solicita apoio da Câmara de Macaé, para a realização do Seminário sobre Conteúdo Local na cadeia de petróleo e gás, que será promovido pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado Federal, organizado pelo Senador Lindbergh Farias.

O seminário, segundo Marcel Silvano, acontecerá no próximo dia 19, no Palácio Cláudio Moacyr, antiga Câmara de Macaé, no Centro, a partir das 18h, aberto ao público. O objetivo, de acordo com ele, é debater com a sociedade as políticas de Conteúdo Local, que por uma década estimulou a indústria nacional e gerou empregos no Brasil, entretanto, vem sendo tratada equivocadamente pelo atual governo, como uma das barreiras impeditivas da retomada do crescimento dessa indústria, propondo a redução substancial dos percentuais mínimos de conteúdo local.

Marcel Silvano com Lindberg Farias e lideres macaenses

“Lindbergh Faria, sugeriu que Macaé recebesse o seminário por ser a cidade polo da região na discussão do petróleo. É um momento importante para a gente avançar e buscar soluções e superar a crise que nós estamos enfrentando”, disse.

O senador destaca essa postura de utilizar a crise da Petrobras como um pretexto para desmontar uma política industrial que deu certo, gerou desenvolvimento de tecnologias, capacitação das empresas e aumento do número e da qualificação de postos de trabalho.

Marcel destacou que a decisão do governo de reduzir a porcentagem de conteúdo local na cadeia produtiva de petróleo causará um impacto ainda mais negativo num momento de crise, principalmente no setor naval, como nos estaleiros do Rio de Janeiro, e setor de bens e serviços, como as empresas de Macaé, que depende do setor do petróleo. Com a crise, já se soma a demissão de mais de 50 mil pessoas.

“Nos índices de desemprego, Macaé ocupa a primeira posição dos municípios do interior do Estado, de acordo com o Mistério do Trabalho. Foram mais de 26 mil desligamentos até julho de 2017. Um saldo negativo do mesmo período do ano anterior, com mais de 7.900 pessoas a mais desempregadas. E a política de conteúdo local é interessante avaliar, porque várias empresas internacionais que querem explorar nossos poços maduros da Bacia de Campos e já estão pedindo ao governo isenção de taxas, além de quererem abrir mão da necessidade de cumprir a contração do conteúdo local”, explicou Marcel.

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.