Guarda Municipal de Búzios poderá usar arma de choque elétrico não letal

Guardas foram treinados no espaço VIla Rica. Fotos de Ronald Pantoja
Guardas foram treinados no espaço Villa Rica. Fotos de Ronald Pantoja

A Guarda municipal de Búzios em breve passará a usar o chamado equipamento elétrico incapacitante não letal, uma espécie de pistola que dispara, através de um dardo preso a um fio, uma carga elétrica com capacidade para derrubar um ser-humano por dor e desorientação. A arma pode ser usada também sem os dardos, em que se encosta o dispositivo diretamente no corpo da pessoa-alvo, acionando o choque.

Nesta quinta-feira (24) a Guarda participou de um curso de capacitação, em Búzios, para uso desse equipamento.  Em nota, a Guarda explica que o uso da arma é previsto pela SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e das Leis Federais 13022 (Estatuto Nacional das Guardas Municipais) e a Lei 13060 (Que regula o uso de equipamento não letal), ambas de 2014.

Marco Antônio Sune Perez, Inspetor Geral da Guarda Municipal de Búzios, conta que esta é a terceira turma a participar do curso, e que 70 agentes já foram capacitados  para o uso do dispositivo elétrico incapacitante. O curso foi ministrado por guardas municipais de Arraial do cabo, que são instrutores credenciados.  Perez ainda explica que  haverá outra turma no próximo mês, com 80 agentes.

“A princípio o objetivo é capacitar todos os agentes, mas a estratégia de uso será definida pela Secretária de Segurança e Ordem Pública.”, finaliza.

A Prefeitura de Búzios ainda não divulgou a data exata em que o equipamento passará a ser utilizado pelos agentes da Guarda Civil do município e quais critérios serão adotados para a sua utilização. O Prensa fez contato com a Equipe de Comunicação da Prefeitura e aguarda resposta.

O conceito dessa categoria de armamento foi estabelecido nos EUA e na Europa no início da década de 90, já foram liberadas em diversas cidades do Brasil para uso da Guarda de diferentes municípios. O caso mais conhecido de nossa região é a cidade de Macaé, em que um grupamento especial tem autorização para uso do dispositivo.

Saiba mais sobre a arma de choque não letal

Arma não letal da marca Spark adquiridas pelo município
Arma não letal da marca Spark adquirida pelo município. Foto Ronald Pantoja

De acordo com o fabricante cada cartucho em alcance de 6 a 8 metros e interrupção automática do choque após 5 segundos do disparo. Ela emite pulsos elétricos que atuam sobre o sistema neuromuscular, causando desorientação, fortes contrações musculares e queda do indivíduo, permitindo a incapacitação temporária.

O sistema nervoso humano se comunica por intermédio de impulsos elétricos. O centro de comando (cérebro e medula espinhal) processa informações e toma decisões. O sistema nervoso periférico inclui os nervos sensoriais e motores. Os nervos motores transmitem os comandos do cérebro para os músculos, controlando seus movimentos e podem ter respostas involuntárias à informação sensorial. A arma usa impulsos elétricos semelhantes para agir sobre os nervos sensoriais e motores, provocar a perda do controle motor e queda da pessoa alvejada.

Justiça intima Prefeitura de Búzios – Guarda Municipal continua proibida de fazer blitz

Leia também Mais do autor

Comentários estão fechados.